Strade Bianche confirma percurso para disputa em 1º de agosto

Os percursos da Strade Bianche e da Strade Bianche Women Elite que serão disputadas no sábado, 1º de agosto, estão oficialmente confirmados. As duas corridas, de acordo com a tradição recente, começarão em Siena e terminarão no cenário único da Piazza del Campo, em Siena, após 184 e 136 km, respectivamente, na retomada do calendário UCI após meses de paralisação por causa da pandemia coronavírus.

Prova Masculina 184km
Prova Feminina 136km

No masculino, a 14ª edição da corrida na Toscana (Itália) terá 184 km, 11 setores e 63 km em estradas de cascalho (34,2% do percurso). No feminino são 136 km, 8 setores e 31,4 km em estradas de cascalho (23,1% do curso).

É um percurso sinuoso e ondulado, sem subidas longas, mas as estradas de cascalho, em 11 setores, oito dos quais são compartilhados com o percurso das mulheres, fazem a diferença. A partir de Siena, os quilômetros iniciais ondulados estão no asfalto antes de atingir o setor 1 de cascalho com 2,1 km de extensão, no km 18, que é perfeitamente reto e ligeiramente em descida.

Depois de alguns quilômetros, os ciclistas enfrentam o setor 2 (5,8 km), o primeiro desafio real com uma descida curta seguida de uma longa subida com trechos com mais de 10% de inclinação. O percurso passa por Radi, onde começa o setor de cascalho 3 (4,4 km de extensão; a segunda parte do que foi setor de cascalho 1 na primeira edição da corrida), logo seguido pelo setor 4 – chamado “La Piana” – e um dos clássicos da corrida (5,5 km de extensão e apresentados no curso desde a primeira edição) sem gradiente significativo, levando ao Buonconvento.

Depois de alguns quilômetros, começa a segunda subida do dia: o Montalcino (4 km a 5%). Após Torrenieri, os ciclistas enfrentam os setores 5 (11,9 km) e 6 (8 km), com apenas 1 km de pista no meio. Ambos são duros, montanhosos, muito fortes e com muitas curvas.

Após a segunda passagem por Buonconvento, os competidores chegarão à zona de abastecimento, posicionada na área de Ponte d’Arbia. A rota chega então a Monteroni d’Arbia, que marca o início do setor 7 de San Martino, em Grania (9,5 km), no meio da Creta Senesi. É um setor longo, com altos e baixos contínuos na primeira parte, terminando com uma subida tortuosa antes de encontrar o asfalto novamente.

Toscana

Em Ponte del Garbo (Asciano), o setor 8 começa. Com 11,5 km, é o mais difícil da corrida, principalmente em subidas e caracterizadas por montanhas difíceis, sendo as mais importantes as próximas ao Monte Sante Marie, com declives acentuados nas subidas e descidas em curtas distâncias. Depois de Castelnuovo Berardenga, há uma seção muito curta e plana de cascalho (300m) antes de enfrentar o Monteaperti, o setor 9 – que tem apenas 800m de comprimento, mas recebe os ciclistas com uma rampa de inclinação de dois dígitos antes de voltar à pista em Vico d’Arbia e depois uma estrada asfaltada de Pieve a Bozzone.

Em seguida, vem a penúltima seção de cascalho (setor 10, 2,4 km) na subida em direção a Colle Pinzuto, com gradientes de até 15%. Depois de alguns quilômetros, os ciclistas enfrentam a última seção de cascalho (setor 11, 1,1 km), que apresenta uma sequência de descidas exigentes, seguida de uma subida muito acidentada (com um gradiente máximo de 18%) que termina em Tolfe. A partir daí, apenas 12 km separam os ciclistas do final na Piazza del Campo, em Siena.

Alaphilippe e Jakob Fuglsang na chegada de 2019

Quilômetros finais
Os exigentes quilômetros finais, com inclinações de até 16%, se aproximam da cidade de Siena ao longo de trechos largos e retos da estrada, conectados por curvas técnicas. A 2 km da linha de chegada, a rota se une à Via Esterna di Fontebranda; aqui o gradiente toca os 9%.

A 900 metros da linha de chegada, o trajeto passa por baixo do Portão de Fontebranda e depois supera os 10% de inclinação até 500m da linha de chegada, atingindo seu declive mais acentuado de 16% ao longo da Via Santa Caterina. Uma curva acentuada à direita leva à Via delle Terme e depois à Via Banchi di Sotto. Faltando 300 metros, a estrada continua a subir um pouco e, a 150 metros da linha, uma curva à direita leva à Via Rinaldini. O percurso então entra na Piazza del Campo, a apenas 70 metros da linha de chegada.

Strade Bianche está programada para o dia 1º de agosto

As mulheres largam primeiro, com todas as oito equipes mundiais femininas da UCI e as sete melhores equipes continentais femininas da UCI. Vale lembrar que na edição de 2019 a vencedora foi Annemiek van Vleuten (que se tornou campeã mundial de estrada da UCI no final do ano em Harrogate, Reino Unido), à frente de Annika Langvad e Katarzyna Niewiadoma. No masculino, o vencedor foi Julian Alaphilippe

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/La Presse

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s